Ações da Dexco (ex-Duratex) (DXCO3): Como investir?

Ações da Dexco (DXCO3): como entender o comportamento dos big players através do volume de negociações

As ações da Dexco (ex-Duratex) (DXCO3) são de uma empresa brasileira líder no setor de materiais para construção, atuando em divisões como Deca, Revestimentos Cerâmicos e Madeira. A empresa tem demonstrado um desempenho sólido nos últimos anos, impulsionando o interesse dos investidores. Neste artigo, analisaremos o contexto atual das ações da Dexco e discutiremos se este é um bom momento para investir na empresa, levando em consideração os recentes desenvolvimentos no mercado e na indústria.

Além de compreender as ações e o mercado em que a Dexco atua, é crucial estar ciente da existência dos big players, como investidores institucionais. Esses participantes fortes são capazes de tirar proveito dos movimentos de preço e até manipulá-los por meio das vantagens competitivas que possuem (financeiras, tecnológicas, de RH, com negociadores altamente competitivos e CEOs muito informados).

Para enfrentar esse cenário, é necessário adotar uma metodologia de trade e investimento que saiba ler o volume financeiro de negociações. Através dessa informação, o Raio X Preditivo consegue detectar a atuação desses participantes fortes e estimar o movimento que o preço fará a seguir. Dessa forma, a atuação dos big players se torna uma aliada dos investidores pessoas físicas, em vez de um inimigo. Ao longo deste artigo, também abordaremos o Raio X Preditivo e sua importância no processo de investimento.

De acordo com os dados disponíveis, a Dexco possui um total de 274.863.424 ações em circulação no mercado (36,12%). Em dezembro de 2022, a empresa possuía um total de 837.059.246 ações ordinárias e nenhuma ação preferencial.


O QUE É A DEXCO (ex-Duratex) E SUAS AÇÕES (DXCO3)?

Segundo a página das ações da Dexco (ex-Duratex) (DXCO3) no site da B3, trata-se de uma empresa com atuação em diversos segmentos, incluindo a fabricação, comércio, importação e exportação de produtos derivados de madeira, produtos de metais e materiais cerâmicos. Seu código de negociação na B3 é DXCO3. A companhia está classificada no setor de materiais básicos, mais especificamente no setor de madeira e papel. O site oficial da empresa é www.dex.co.

A Duratex mudou seu nome para Dexco em 2021 como parte de uma estratégia de rebranding para se tornar mais moderna e centrada no consumidor final. A empresa passou por uma jornada digital e a mudança de nome foi uma forma de marcar essa nova fase da companhia. A nova marca "Viver Ambientes" busca refletir o propósito da Dexco de oferecer soluções para melhor viver, com produtos que combinam estética e funcionalidade, promovendo conforto e bem-estar. Além disso, a mudança de nome também teve como objetivo simplificar a marca e torná-la mais fácil de ser lembrada e reconhecida pelo público.

A Dexco é uma empresa brasileira de capital aberto, com ações negociadas na Bolsa de Valores de São Paulo, sob o ticker DXCO3, que foi fundada em 1951. Atualmente, a Itaúsa é a maior acionista da companhia, detendo 36,54% das ações ordinárias da Dexco. A participação da Itaúsa pode trazer vantagens para a companhia, como acesso a recursos financeiros, além de contribuir para a diversificação de portfólio da holding.

A Dexco é a maior empresa produtora de painéis de madeira industrializada do Brasil, com 11 mil empregados, líder de mercado na produção de louças e metais sanitários no hemisfério Sul e uma das líderes do segmento de revestimentos cerâmicos no país. A companhia tem sede administrativa em São Paulo e está presente na Argentina, através da Deca Piazza, nos Estados Unidos e na Europa, por intermédio das subsidiárias comerciais Duratex North America e Duratex Europe, respectivamente.

A Companhia integra, desde 2009, o Novo Mercado, o que evidencia a adoção do mais elevado padrão de governança corporativa. Além disso, desde 2008, faz parte da carteira do ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial), garantindo o nosso compromisso também com os temas relacionados a meio ambiente e responsabilidade social.

A Dexco atua em três divisões de negócio: Madeira, Deca e Revestimentos.

  • Na divisão Madeira, produz e comercializa painéis MDP e MDF sob a marca Duratex, pisos laminados e vinílicos com a marca Durafloor e conta com três fábricas de painéis na Colômbia.
  • O segmento Florestal possui mais de 140 mil hectares de terra e cultiva eucalipto usando a mais avançada tecnologia.
  • Na divisão de Revestimentos, produz e comercializa revestimentos para piso e parede e telhas utilizando as marcas Ceusa e Portinari. Recentemente, a Dexco comunicou a aquisição da marca Castelatto, líder no segmento premium de pisos e revestimentos de concreto arquitetônico.
  • Na divisão Deca, produz e comercializa louças, metais, duchas e chuveiros elétricos sob as marcas Deca e Hydra. A Dexco também firmou parceria com a austríaca Lenzing AG para criar a joint venture LD Celulose para a produção de Celulose Solúvel.

Com 25 unidades industriais e florestais no Brasil e na Colômbia, a Dexco busca continuamente atrair novos negócios rentáveis e em linha com seus propósitos. Desde sua fundação, a Dexco passou por diversas mudanças e incorporações de marcas, como a Satipel em 2009, a Corona em 2015, a Ceusa em 2017 e a Cecrisa em 2019, que era a fabricante de revestimentos cerâmicos e detentora da marca Portinari em operação que ultrapassou R$ 1 bilhão. Essas incorporações fortaleceram ainda mais a posição da Dexco no mercado e ampliaram seu portfólio de produtos.

O que são as ações da Dexco (ex-Duratex) (DXCO3)?

Ações são pedacinhos de uma empresa que são vendidos na Bolsa de Valores. Quando você compra uma ação, você está se tornando dono de um pedaço daquela empresa, o que te dá o direito de receber uma parte dos lucros que a empresa distribuir, chamados de dividendos. No caso da Dexco, suas ações são negociadas na Bolsa de Valores brasileira sob o código DXCO3.

Uma empresa pode optar por abrir capital na bolsa de valores para captar recursos para investimentos em novos projetos, expansão da empresa, pagamento de dívidas, entre outras necessidades. A abertura de capital também pode trazer maior visibilidade para a empresa, além de ajudar a fortalecer sua marca.

A IPO (Initial Public Offering), ou Oferta Pública Inicial, é o processo de abertura de capital de uma empresa na bolsa de valores. Nesse processo, a empresa emite novas ações para serem vendidas ao público, geralmente por meio de uma corretora de valores. A IPO é um momento importante para a empresa, pois é a primeira vez que suas ações são negociadas publicamente.

Se os recursos captados na IPO forem bem utilizados, a empresa pode crescer e gerar mais lucro, o que pode resultar em um aumento no valor das ações. Por outro lado, se os recursos forem mal utilizados, a empresa pode enfrentar dificuldades financeiras e o valor das ações pode cair.

O preço das ações é determinado pela oferta e demanda. Se muitas pessoas querem comprar as ações de uma empresa, o preço sobe. Se muitas pessoas querem vender as ações, o preço cai. Esse movimento pode ser manipulado por investidores ou traders, que compram ou vendem grandes quantidades de ações para influenciar o preço.

Os traders e investidores têm abordagens diferentes quando se trata de comprar e vender ações. Os traders buscam obter lucros rápidos comprando e vendendo ações em curtos períodos de tempo. Já os investidores acreditam na empresa e em seu potencial de crescimento, comprando ações com a intenção de mantê-las por um longo prazo.

Os dividendos são parte dos lucros que a empresa distribui para seus acionistas. No caso da Dexco, a empresa já distribuiu dividendos em diversas ocasiões ao longo de sua história. No entanto, cabe ressaltar que nem todas as empresas distribuem dividendos, e que essa decisão depende da política de distribuição de lucros adotada pela empresa.

História da Dexco (ex-Duratex) (DXCO3)

  • 1950: Início da fabricação de chapas de fibra de madeira no Brasil
  • 1951: Fundação da Duratex S.A. Indústria e Comércio em São Paulo
  • 1966: Obtenção do Certificado da Condição de Sociedade Anônima de capital aberto
  • 1970: Adquirição de área florestal e abertura de nova fábrica de painéis em Taquari (RS)
  • 1972: Incorporação da Deca S.A. e aquisição da Metais São Paulo
  • 1981: Compra de fábrica de louças em São Leopoldo (RS) e investimento em automação da fabricação de louças sanitárias
  • 1995: Conquista do selo FSC® e aquisição da Piazza Hermanos na Argentina
  • 2005: Adesão ao Nível 1 do Índice de Governança Corporativa da BM&FBovespa
  • 2008: Aquisição da Ideal Standard e da Cerâmica Monte Carlo
  • 2009: Passa a integrar o Novo Mercado da BM&FBovespa
  • 2012: Entra para o Dow Jones Sustainability World Index e Cadastro Empresa Pró-Ética. Adquire a Metalúrgica Ipê e 37% das ações da Tablemac
  • 2019: Amplia portfólio de revestimentos cerâmicos com a compra da Cecrisa
  • 2021: Completando 70 anos, a Duratex muda de nome para Dexco. Adquire a Castelatto e anuncia investimentos na Urbem e na Noah Wood Building Design
  • 2022: Adquire 13% da Brasil ao Cubo e inicia as operações da LD Celulose, joint venture com a Lenzing.


AÇÕES DA DEXCO (ex-Duratex) (DXCO3): ONDE E COMO SÃO NEGOCIADAS?

As ações da Dexco (DXCO3) são negociadas na B3, a única bolsa de valores brasileira. A B3 é responsável pela negociação de diversas classes de ativos, como ações, opções, títulos públicos, derivativos, entre outros.

A negociação das ações na B3 ocorre de forma eletrônica, por meio da plataforma PUMA (Plataforma Unificada Multiativo). O PUMA é uma plataforma que unifica a negociação de diversos ativos financeiros em um único sistema, o que facilita o processo de negociação para os investidores.

O pregão viva voz, que antes era realizado presencialmente na B3, foi encerrado em 2009 e substituído completamente pela negociação eletrônica.

Através da negociação eletrônica na B3, é possível comprar e vender ações da Dexco e de outras empresas de forma prática e rápida, a partir de casa, por meio do computador ou até mesmo de um celular. No entanto, é importante lembrar que o mercado de ações é altamente competitivo, com investidores institucionais, como bancos e fundos de investimento, que possuem recursos financeiros e pessoal altamente treinado para tomar vantagem das negociações e tirar proveito do mercado.

Esses investidores institucionais, também conhecidos como "big players", utilizam algoritmos altamente treinados para fazer negociações vantajosas e se aproveitar ou até mesmo provocar movimentos de preço no mercado. Algumas das empresas que são consideradas "big players" são a UBS, a Goldman Sachs e a BlackRock, entre outras.

Nesse cenário, é preciso ter uma metodologia que saiba ler o comportamento desses participantes fortes. É o caso do Raio X Preditivo, uma metodologia que usa o volume financeiro de negócios para identificar as atuações dos "big players" e tomar decisões estratégicas no mercado de ações.

Quais ações a Dexco (ex-Duratex) possui?

A Dexco possui ações ordinárias (ON) que são negociadas na B3 com o código DXCO3. As ações ON conferem direito a voto nas assembleias de acionistas da empresa, bem como direito a participação nos lucros e dividendos distribuídos pela companhia, de acordo com as decisões tomadas pela administração e pelos demais acionistas. Além disso, os acionistas da Dexco também possuem o direito de receber informações sobre a empresa e suas atividades, além de poderem participar das deliberações importantes da companhia. É importante destacar que as ações da Dexco estão sujeitas a oscilações de preço no mercado, que podem ser influenciadas por diversos fatores, como o desempenho da empresa, o cenário econômico e político, a oferta e a demanda no mercado, entre outros.

Quais são os códigos das ações da Dexco (ex-Duratex)

Todas as ações negociadas na bolsa de valores brasileira, a B3 (Brasil, Bolsa, Balcão), são conhecidas por códigos de negociação DXCO3.

As ações da Dexco (ex-Duratex) (DXCO3) são negociadas em quais bolsas?

A Dexco, ao que parece, não possui ADRs ou outros programas de recibos negociados em outras partes do mundo. Os programas de recibos, como os ADRs (American Depositary Receipts), são instrumentos financeiros que permitem que empresas estrangeiras listadas em bolsas fora dos Estados Unidos tenham suas ações negociadas em mercados americanos. Esses programas são emitidos por bancos depositários americanos, que adquirem ações das empresas estrangeiras e emitem recibos lastreados nesses títulos. Os ADRs permitem que investidores americanos negociem ações de empresas estrangeiras sem ter que lidar com questões regulatórias e cambiais envolvidas na compra direta de ações no mercado estrangeiro. Os ADRs e outros programas de recibos são geralmente emitidos com o objetivo de atrair investidores estrangeiros e aumentar a liquidez das ações da empresa, tornando-as mais acessíveis a um público maior. Além disso, os programas de recibos podem fornecer às empresas estrangeiras acesso mais fácil a capital estrangeiro, bem como aumentar sua visibilidade e reputação global.


QUAIS SÃO OS PRINCIPAIS POSSUIDORES DE AÇÕES DA DEXCO (ex-Duratex) (DXCO3)?

Segundo o site da B3, atualmente, os principais acionistas das ações da Dexco (ex-Duratex) (DXCO3) são os seguintes:

  • Itaúsa S.A. (36,54%) - Holding do banco Itaú Unibanco e principal acionista da Dexco.
  • Salo Davi Seibel (8,23%)
  • Fundo de Investimento em Participações Ordem - Multiestratégia Investimento no Exterior (5,48%)
  • FIA Jequitibá (4,52%)
  • Andrea Laserna Seibel (1,15%)
  • Rodolfo Villela Marino (0,69%)
  • Ricardo Villela Marino (0,69%) - Não há informações disponíveis sobre sua ocupação ou atividade profissional.
  • Ana Lúcia de Mattos Barretto Villela (0,72%) - Membro da família fundadora do banco Itaú e atua em projetos sociais e filantrópicos.
  • Alfredo Egydio Arruda Villela Filho (0,72%) - Membro da família fundadora do banco Itaú e atua como investidor.
  • Tesouraria (3,48%)


FORMAS DE GANHAR COM AÇÕES DA DEXCO (ex-Duratex) (DXCO3)?

As duas principais formas de se ganhar dinheiro com ações da Dexco (DXCO3) são:

  • Valorização da ação: quando o preço da ação sobe em relação ao preço que foi comprado, o investidor pode vender a ação e realizar um lucro na diferença entre o preço de compra e venda.
  • Recebimento de dividendos: a Dexco pode distribuir parte de seus lucros aos acionistas na forma de dividendos. Dessa forma, o investidor pode receber uma renda passiva por deter as ações da empresa. O valor dos dividendos pode variar de acordo com o desempenho da empresa e as decisões tomadas pelos seus gestores. 

Dividendos

De acordo com a tabela fornecida no site de relacionamento com investidores da companhia, a Dexco tem uma política de pagamento de dividendos que distribui obrigatoriamente no mínimo 30% do lucro líquido ajustado a seus acionistas no formato de dividendos ou juros sobre capital próprio (JCP), pelo menos uma vez por ano ou em períodos intermediários quando decidido pelo Conselho de Administração.

Analisando o histórico de pagamentos de dividendos e JCP, é possível notar que a Dexco vem pagando regularmente aos seus acionistas ao longo dos anos, demonstrando uma boa política de distribuição de lucros. Os valores pagos, tanto em dividendos como em JCP, variam de acordo com o desempenho da empresa, e em alguns momentos foram pagos dividendos extras. Pode-se notar que a empresa efetuou pagamentos anualmente desde 2004. No entanto, houve uma interrupção no pagamento de proventos no ano de 2016. A empresa não realizou pagamentos de dividendos ou JCP nesse ano. Os pagamentos foram retomados no ano seguinte, em 2017.


INVESTIR OU NÃO INVESTIR EM AÇÕES DA DEXCO (ex-Duratex) (DXCO3): QUAL DECISÃO TOMAR?

A partir dos dados financeiros apresentados pela Dexco na página de suas ações no site da B3, é possível observar um aumento significativo em seu Ativo Total, que passou de R$13.4 bilhões em dezembro de 2021 para R$15.6 bilhões em dezembro de 2022. Isso sugere um crescimento da empresa no período e pode ser um sinal positivo.

No entanto, a Receita de Venda apresentou um aumento pouco expressivo, passando de R$8.17 bilhões em 2021 para R$8.49 bilhões em 2022, o que pode ser um indício de uma estagnação ou um crescimento limitado no mercado em que a empresa atua.

A Demonstração do Resultado indica que o Resultado Financeiro apresentou um prejuízo de R$531.6 milhões em 2022, enquanto em 2021 havia sido positivo em R$97.6 milhões. Esse é um ponto que merece atenção, pois pode indicar problemas financeiros decorrentes de juros ou de outras despesas financeiras.

Por fim, é possível observar que o Lucro do Período teve uma queda significativa de R$1.7 bilhões em 2021 para R$764.9 milhões em 2022, o que pode indicar um desempenho financeiro mais fraco da empresa.

Em relação ao Fluxo de Caixa, apesar de um aumento no Caixa e Equivalentes de R$350.4 milhões em 2022, as Atividades de Investimento tiveram um resultado negativo de R$1.6 bilhões, indicando um alto investimento em ativos imobilizados e investimentos. Já as Atividades de Financiamento apresentaram um resultado positivo de R$1.2 bilhões, indicando uma captação de recursos financeiros no período.

Notícias recentes

A Dexco (DXCO3) teve uma queda de 62,5% no seu lucro líquido no quarto trimestre de 2022, comparado ao mesmo período de 2021, chegando a R$ 217,868 milhões. A empresa atribuiu a piora à queda nas vendas de materiais e ao aumento das despesas com juros. Já o Ebitda cresceu 21,3% no mesmo período, chegando a R$ 559,625 milhões, com uma margem Ebitda de 28,3%. A receita líquida consolidada da Dexco caiu 12%, totalizando R$ 1,980 bilhão, principalmente devido à queda nas vendas nas unidades Deca, cerâmicos e painéis de madeira. A empresa explicou que os fretes altos inibiram as vendas no mercado externo. A dívida líquida da Dexco aumentou 65% em um ano, chegando a R$ 4,038 bilhões, e a alavancagem dobrou, chegando a 2,33 vezes. A empresa realizou investimentos de R$ 863,6 milhões em suas operações no ano passado, e a administração espera que 2023 seja um ano desafiador, reforçando o compromisso em direcionar esforços para ganhos de rentabilidade das operações.

Nosso posicionamento

É muito importante acompanhar o comportamento dos investidores institucionais ao investir em ações, mesmo que a empresa divulgue informações publicamente. Isso ocorre porque esses investidores, muitas vezes, têm acesso a dados privilegiados e informações não públicas, o que pode influenciar o preço das ações. Além disso, eles têm recursos financeiros e pessoal altamente treinado para tirar vantagem do mercado.

Uma ferramenta útil para detectar a atuação desses investidores é o Raio X Preditivo. Ele analisa o volume financeiro de negociações, que é o dado onde os investidores institucionais deixam pistas de suas atuações. Com base nessa análise, o Raio X Preditivo pode ajudar os investidores a tomar decisões mais informadas e a identificar oportunidades de investimento. Dessa forma, é possível se antecipar a movimentos de preço e maximizar os retornos de investimento.


FICOU INTERESSADO EM AÇÕES DA DEXCO (ex-Duratex) (DXCO3)? VEJA OS CUSTOS E TAXAS PARA COMEÇAR

  • Taxa de corretagem: cobrada pelas corretoras pelo serviço de execução das ordens de compra e de venda. Varia de acordo com a corretora e costuma ter a ver com o tamanho da ordem ou seu valor financeiro
  • Taxa de custódia: as corretoras estão deixando de usar esta taxa que corresponde ao serviço de manter as ações que você decide manter por algum tempo em sua conta
  • Taxas da bolsa: os emolumentos ou taxas da bolsa de valores podem chegar a 0,03% ou pouco mais que isso do valor financeiro de cada ordem emitida, de compra ou venda
  • ISS: o Imposto Sobre Serviços é equivalente a 5% do valor da taxa de corretagem
  • Imposto de renda: incide sobre o lucro. Para day trade, a alíquota é de 20%. Para operações com mais de um dia a alíquota é de 15%. No day trade, podemos descontar meses com prejuízo do atual com lucro, fazendo um abatimento sobre o valor sobre o qual incidirá a alíquota de 20%. Nas operações com mais de um dia, nos meses em que houver vendas inferiores a R$ 20 mil, há isenção, mesmo que exista lucro
  • A B3 começou a cobrar 0,12% sobre os dividendos recebidos por carteiras de ações cujo valor seja igual ou superior a R$ 20 mil.


COMO O RAIO X PREDITIVO PODE AJUDAR AÇÕES DA DEXCO (ex-Duratex) (DXCO3)?

O Raio X Preditivo é uma técnica de análise do comportamento do mercado de ações que pode ser muito útil para negociar ações da Dexco (DXCO3). Essa técnica analisa o volume financeiro das negociações, que é um dos principais fatores que afetam o preço das ações.

É importante lembrar que o volume é a causa e o preço é o efeito, seguindo a lei da oferta e da demanda. No entanto, muitas metodologias e cursos de trade focam apenas no preço, ignorando a importância do volume financeiro.

Para os investidores institucionais, como os chamados big players, a liquidez é muito importante. Eles trabalham com grandes volumes de dinheiro e de ativos, e precisam de liquidez para fazer suas negociações de forma eficiente.

Por vezes, esses investidores aproveitam momentos de pânico no mercado para comprar ativos a preços mais baixos, antes que o preço volte a subir. Da mesma forma, podem aproveitar momentos de euforia para vender ativos a preços mais altos, antes de uma posterior queda.

Com o Raio X Preditivo, é possível analisar o volume financeiro de negociações e detectar a atuação desses investidores institucionais, que muitas vezes têm conhecimentos de dados privilegiados e intenções que não são públicas. Assim, é possível tomar decisões mais informadas e aumentar as chances de obter sucesso nas negociações de ações da Dexco e de outras empresas.


COMO FAÇO PARA COMPRAR AÇÕES DA DEXCO (ex-Duratex) (DXCO3)?

Para comprar ações da Dexco (DXCO3), é necessário ter uma conta em uma corretora de valores. O primeiro passo é escolher uma corretora confiável e fazer o cadastro. Esse processo pode ser feito online e geralmente exige a apresentação de documentos pessoais, como RG, CPF e comprovante de residência.

Após a abertura da conta, é possível transferir dinheiro para a corretora e começar a investir em ações. É importante escolher bem as ações em que se deseja investir, levando em conta a análise fundamentalista e técnica.

Antes de operar na conta real, é recomendado que o investidor treine em uma conta demo, que é uma simulação da plataforma de negociação, para se familiarizar com o funcionamento do mercado e com as estratégias de investimento.

Além disso, é importante lembrar que investir em ações envolve riscos e é importante estar ciente desses riscos e estar preparado para lidar com eventuais perdas. Portanto, antes de investir em ações, é indicado que o investidor busque conhecimento sobre o mercado e faça uma análise cuidadosa das empresas em que deseja investir.


CONCLUSÃO SOBRE AS AÇÕES DA DEXCO (ex-Duratex) (DXCO3)

É importante lembrar que esse mercado é altamente competitivo, com investidores institucionais e big players que possuem vantagens, como algoritmos altamente treinados e recursos financeiros e pessoal altamente treinado para tirar proveito das oportunidades do mercado.

A Dexco enfrenta desafios em um mercado competitivo, como queda nas vendas de materiais, aumento das despesas com juros e a dívida líquida crescente, mas também apresenta resultados positivos. Nesse cenário, é fundamental ter uma metodologia eficaz para interpretar o comportamento desses participantes fortes, e o Raio X Preditivo é uma ferramenta valiosa nesse sentido, pois analisa o volume financeiro de negociações, que é onde os big players deixam pistas de suas atuações.

Escrito por Luiz Sato

Segundo Sato sua missão é transmitir conhecimento avançado aos traders brasileiros para aplicarem as metodologias e as ferramentas disponibilizadas ao seus alunos aumentando as probabilidades de ganhos nos mercados que são altamente competitivos e dominados principalmente pelos HFT´s (Robôs de alta frequência).

Deixe seu comentário